Setembro de 2012
Terapia de Reposição de Nicotina Funciona?
Encontrei recentemente um conhecido que eu não via há muitos anos. Após atualizarmos o papo, as trajetórias de vida, batalhas, percalços e tudo o mais, falei a ele que eu agora representava junto com meu marido a maior empresa em cessação de tabagismo no mundo e estávamos dando seminários para parar de fumar aqui em São Paulo.



Um grande desafio, sem dúvida, posto que os fumantes querem muito parar de fumar, mas a maioria sempre deixa pra amanhã...



Mas também uma grande realização para nós, pois assim que deixam de lado seus medos e comparecem, percebem que não havia o que temer e se transformam em felizes não fumantes.



Bom, antes que você interrompa essa leitura achando que estou fugindo do tema dessa Newsletter e querendo nos promover (ok confesso, só um pouquinho...), relato aqui algo interessante que ocorreu a ele.



Esse meu conhecido tem cinquenta anos e sempre fumou muito. Como a maioria de nós, sempre recebeu reprimendas da família e da sociedade dizendo coisas do tipo “pare de fumar, você não vê que isso tá te matando?” sem que isso fizesse o mínimo efeito, assim como nunca fez para a grande maioria de nós. Mas fatalmente quando a idade começa a pesar, assim também as preocupações com a saúde e a tortura de se enxergar escravo de um vício do qual não se consegue sair. Então esse meu conhecido procurou um médico. Que por sua vez foi muito direto com ele: “Eu vou te receitar adesivos de nicotina. As chances de você parar de fumar são de 7%, e as chances de você voltar são 95%”.

 Meu conhecido então disse ao seu médico: “Puxa doutor, o senhor está mesmo me animando!”

Pra resumir a história: Mesmo com essa “perspectiva maravilhosa” no horizonte, e sem outra nova alternativa animadora, meu conhecido resolveu tentar usar os adesivos de nicotina e acabou se intoxicando mais, pois além de tê-los na pele, ainda continuou a fumar os cigarros. O resultado foi uma grande decepção.

O criador de nosso método para parar de fumar, Allen Carr, fez em 1983 uma declaração ao mundo muito ousada para a época: A de que adesivos de nicotina não funcionam e nunca poderiam funcionar. Por ter compreendido profundamente o problema do tabagismo, ele foi o primeiro que visualizou a ineficácia da aplicação de nicotina como cura para se tratar o vício do fumo e a denunciou ao mundo todo. Ele dizia: “Como pode o vício numa droga ser curado se administrando essa mesma droga ao corpo? É um contrasenso!”



Agora o Center For Global Tobacco – Harvard School of Public Health e a University of Massachussets Boston publicaram um estudo patrocinado pelo Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos onde questionam a eficácia dos tratamentos de TRN (terapia de reposição de nicotina), principalmente afirmando que ela não reduz as taxas de recaída, e que pessoas que tentam parar de fumar falham de forma equivalente usando ou não terapia de reposição de nicotina em suas tentativas, além dessa falta de eficácia ser a mesma em fumantes pesados ou leves. A conclusão é forte e certeira: As políticas públicas de cessação de fumo com base em terapia de reposição de nicotina devem ser revistas, pois o dinheiro público só deve ser gasto com políticas comprovadamente eficazes, o que não é o caso da TRN.


Quanto dinheiro público e privado desperdiçado! 
Se Allen estivesse vivo, teria dito “bem vindo ao clube...”
Que bom que a medicina está começando a questionar o que um dia foi considerado seu “aliado” no combate ao tabagismo. Consideramos isso saudável e um passo a mais em reconhecer o que Allen já sabia em 1983.


Caso você queira ler o press release original em inglês, o site é http://www.hsph.harvard.edu/news/press-releases/2011-releases/nicotine-replacement-therapies.html


O estudo completo pode ser adquirido no site abaixo (o download não é gratuito, favor checar a taxa diretamente na página da instituição):
http://tobaccocontrol.bmj.com/content/early/2012/01/10/tobaccocontrol-2011-050129


O estudo é entitulado “A prospective cohort study challenging the effectiveness of population-based medical intervention for smoking cessation” , e seus autores Hillel R Alpert, Gregory N Connolly, Lois Biener - Tob Control tobaccocontrol-2011-050129 Published Online First: 10 January 2012doi:10.1136/tobaccocontrol-2011-050129


Concluimos nosso 1º post satisfeitos por podermos trazer uma novidade do mundo científico a nossos leitores, esclarecendo algo que para nós nunca foi uma controvérsia e sim uma certeza: A completa ineficácia da terapia de reposição de nicotina.
Com esse esclarecimento, esperamos nos aproximar de nossos leitores e estreitarmos o relacionamento com vocês.

Obrigada e até a próxima!


Lilian Brunstein

Diretora

Allen Carr's Easyway São Paulo

Fale conosco:

contato@easywaysp.com.br

Copyright 2019 Todos os direitos reservados.